terça-feira, janeiro 18, 2005

Revolta

"Mas afinal quem é que nos conhece verdadeiramente?....Tenho que pensar primeiro em mim. Tenho de deixar de estar à espera. Não posso abdicar de fazer o que quero, como quero, com quem quero, em favor dos outros. Eu. e mais ninguém!" feiticeira

Uma grande amiga minha ensinou-me, que temos que ser nós mesmos e deixar de pensar demais nos outros, no que pensam, no que fazem, etc.
Nao concordo plenamente com isto, porque nao quero entrar em ridicalismos. ou seja, as coisas tem que estar equilibradas. e sim temos que pensar nos outros porque as pessoas que nos rodeiam sao realmente importantes para nós. mas falta aqui uma coisa, um qualquer sentido critico, uma filtragem emocional, sei la definir isso, algo que nos premita escolher, se assim se pode dizer, quem está ao nosso lado, e quem realmente interessa. porque essas pessoas ficam, e provam, comprovam, partilham a vida umas das outras.

Mas isto tudo sem nos esquecermos realmente de nós próprios, porque em ultima instancia é o que realmente interessa.
Todos temos pessoas na nossa vida que nos ferem das mais variadas formas, seja casual ou intecionalmente, reparamos afinal que o que dizem e o que fazem tem um peso grande.
Chama-se vida a estas coisas todas, e no fim em quem confiar? a quem merecer que se confie. Agora, nao se pode estar a sofrer por antecipação á espera que aconteça alguma coisa, nem estar a sofrer por causa de um leite que se derramou.

Talvez paciencia?
Compreensão?
Desprendimento?
Cabeça fria?
Limpar o leite?
Viver?
Não sei.

Não se pode colocar pedras sobre os assuntos, porque os assuntos continuam la, mas escondidos, quem que se aceitar, perdoar, continuar, resolver, viver, seguir, etc. a palavra que melhor se enquadre.
Sei que todos temos quem nos faça sofrer e que todos fazemos sofrer. e que é dificil passar por muitas coisas, mas, mais uma vez, como me disse essa grande amiga, o tempo cura tudo e tem que se decidir o que realmente interessa. neste caso o "eu".
Sempre nós próprios, só nós interessamos, mas avisos á navegação feitos, temos pessoas á nossa volta, atenção, elas tambem contam, certo, as que relamente importam, importam mesmo. As que não importam, não devem importar mesmo.

Por isso caguemos nas merdas que nos atrofiem, nas pessoas que nos fazem mal, mesmo que não seja essa a intenção.
Porque não temos que estar sujeitos áquilo que nao queremos ou que nao decidimos.fica apenas, ser nós próprios, fazer o que queremos, ter consciencia que magoamos e que somos magoados. e manter a porcaria da balança equilibrada, ligeiramente a pender para o nosso lado...

e ha realmente pessoas com quem se pode contar sempre...

2 comentários:

Quem? disse...

Eu sei que posso contar contigo agora e para sempre...Tu és especial! O mais belo ser que alguma vez tive o privilégio de conhecer.És único e um amigo incondicional. Por tudo isto só tenho que te agradecer mais uma vez, por estares a meu lado, por me escutares, por me aturares e por me ajudares a equilibrar a balança. Obrigada.

Quem? disse...

Sei que nunca terei o que procuro
E que nem sei buscar o que desejo,
Mas busco, insciente, no silêncio escuro
E pasmo do que sei que não almejo.

Fernando Pessoa