terça-feira, abril 10, 2007

akrit jaswal



"Em 2001 um rapaz de sete anos de uma remota aldeia nos Himalaias, fez uma cirurgia numa rapariga local. As notícias espalham-se depressa e o rapaz foi convidado para ser testado nos Estados Unidos, tendo revelado o QI mais elevado de sempre, para a sua idade.
Akrit Jaswal tem agora doze anos e é considerado pelos da sua aldeia como uma reincarnação. Tem vindo a trabalhar nos dois últimos na cura do cancro, baseado em teorias de terapia de genes, mas os recursos na sua pequena aldeia do Norte da Índia são limitados.
Este documentário junta-se a Akrit na viagem que ele fez ao Imperial Cancer Research Laboratory em Londres, onde ele vai testar as suas capacidades mentais pela primeira vez, a fim de se ver se continua a ser uma dos mais brilhantes cérebros do século XXI!"

a natureza por vezes o poder de nos presentear com messias, anti-ditadores, santos salvadores que combatem os nossos males, este rapaz parece ser um deles, um futuro alquímico dos tempos pós-modernos

a sua demanda é a de descobrir a cura para o cancro

mesmo sem sermos génios, todos nós pensamos, todos nós temos ideias, como gajo que tem a mania que é esperto também tenho algumas, mas a maior parte delas não consigo por em prática ou por razões técnicas, ou de saber mais profundo ou porque simplesmente parecem tão disparatadas ou tão simples que convenço-me que alguém melhor que eu provavelmente já deve ter pensado nisso...

mas fica sempre no ar a questão "e se isto realmente resultasse?"

como no filme "gattaca" mais que a perfeição em potência tem que haver persistência, de nada serve um QI astronómico se não se fizer nada com ele...

a mesma natureza da humanidade deu-nos einstein, mozart, hopkins, jaswal, newton mas também conseguiu gerar hitler, bush, charles manson, etc...

aqui fica a primeira parte do documentário do pequeno génio que passou ontem na rtp2, as outras partes estao no youtube


1 comentário:

Michael disse...

oh. Eu k pensava que era dono do título de génio do séc. XX. Temos que fazê.lo "desaparecer"