terça-feira, julho 03, 2007

leve como tudo...

eu com olhar líquido, foto de meu pai

quando ganhamos alma perdemos a calma, deixamos de ser leves como tudo e carregamos o pesar dos dias entre lutas intrincadas com a procura de uma qualquer felicidade

aquela que se perde quando se abre a caixa de pandora, a caixa que não mais se consegue fechar, o não saber quantas almas se tem...

penso na alegre inconsciência das ceifeiras de pessoa e no olhar líquido das crianças, no mundo cheio que acabava no final da nossa rua, que era o sitio específico para ser perfeito...

penso se a vontade nunca fosse espicaçada alguma vez existiria a falta…

penso no deserto e no fim do mundo, uma cabana e uma tranquila vida antes do limite da duna sem limite, coisas simples e certas, apenas uma duna constante em forma de horizonte… ultrapassa-la para que?

a feliz e alegre insconciencia

penso se será possível tornar de novo liquido o olhar, tal como foi congelado nesta foto… antiquíssima e verdadeira…

haverá retorno?




leve como tudo - música minha, letra e voz do meu
sobrinho, 4 ou 5 anos...

4 comentários:

Lis disse...

Gostaria de ter ouvido...não consegui. Mas não acho que tenhas um olhar líquido aqui.
Um abraço.

Vinagre disse...

"Feliz e alegre inconciência"
Tas com um olhar observador, de quem esta prestes a tomar um posição, porque nao esta a gostar de ser fotografado. lol
O que nao acredito, o gajo que esta sempre a tirar fotos a tudo.
Es pior que os japoneses. lol

Mr. MyShadow disse...

tao lindo k ele era...

ZEP disse...

:-)