quarta-feira, novembro 14, 2007

culpas que se atribuem para desculpar outras culpas…

foto de yuri bonder

sou um optimista, acredito que no seu intimo todas as pessoas são boas e no entanto sei que isto não pode ser verdade…

não consigo perceber porque existem pessoas com mau íntimo que fazem coisas más, ou mesmo como pessoas sem rancor tenham atitudes de frieza desconcertante…

não consigo perceber como existem desconhecidos que se maltratam ou conhecidos que já não são capazes de se olhar olhos nos olhos…

percebo que há problemas que surgem devido a outros problemas não resolvidos, que ás vezes, com a distancia do tempo, pequenas coisas tomam proporções inquietantes e que muitas vezes pequenos equívocos ridículos eram bem resolvidos com uma simples palavra e no entanto não o são…

remendos atrás de remendos atrás de remendos em que se esquece por onde se começou, no meio disto tudo há pessoas que não se falam, atitudes que não se compreendem, razões que se perdem, discussões de teimosia, orgulhos feridos e teimosias orgulhosas de quem não dá o braço a torcer, de quem não se acalma para se ouvir a si próprio a falar…

sei que ninguém é infalível, eu mesmo tenho razões que fogem à razão e teimosias estúpidas, parvoíces, medos, reacções…

a pior teimosia é a de quem não tem razão… não se consegue falar com quem não quer ouvir… nesta altura dizem-se coisas que não se devem dizer, automatismos do instinto primário do ser-humano-animal que se encolhe num canto assustado e ataca para se defender, criando ódio, reagindo com ódio…. e no meio de tudo ainda penso que todas as pessoas podem ser chamadas à razão…

no entanto há medos que se fabricam e que dão origem à criação de outros medos…

pessoas que inventam que são excluídas e que por antecipação fazem com que os outros as excluam…

culpas que se atribuem para desculpar outras culpas…

se calhar existem mesmo pessoas más, eu não quero é acreditar nelas...

2 comentários:

ZEP disse...

é por algumas dessas razões que há pessoas com quem nos continuamos a dar

e outras que não

é um filtro


abraço

Joao Pedro disse...

sim...mas o mais importante no meio disso tudo, penso eu, é conseguirmos continuar a manter uma relação com essas pessoas, qe sao assim....e tenta-las fazer ver que mudar cabe a todos.

Eu bem tento. É uma tarefa dificil.
Mas nunca desistam de falar. Qe eu tambem nao! :)

gosto muito do texto!