quarta-feira, março 26, 2008

aniquila...


Como se aniquila o tempo? Como podemos prolongar este momento? Como posso morrer várias vezes e ter tanto prazer?
Aniquila para anular, para tornar sem efeito a vida.
Aniquila para destruir e transformar em nada.
A destruição leva-nos a que tudo caia no vazio. A vida deixa de fazer sentido e aqui eles só têm uma alternativa, esperar pela morte.
Depois tudo volta sempre ao início. Depois a vida volta sempre ao início, transformando-se num ciclo incompleto.
Aniquila o tempo, aniquila a espera. Aniquila nunca será definitivo, porque ficará sempre qualquer coisa por aniquilar.
Não consigo sentir o tempo. Aniquilo o tempo para não ter de me lembrar.
Não te reconheço, mas não me consigo lembrar de te esquecer.
A memória não é de confiança.

Susana Vidal


+ informação / fotos

2 comentários:

intruso disse...

(a memória não é mesmo de confiança...)

abraço

ariana luna disse...

O que é que temos realmente de nosso, para além da memória?
E se mesmo essa não é de confiança...