quinta-feira, junho 23, 2005

Agosto...




tenho fome de água salgada crepitante debaixo dos pés, de mergulhar em ti gélida para me aquecer e te contemplar sobre o amarelo da areia sob o amarelo do sol que morde ternamente, cada vez mais até os olhos se fecharem em vermelho de não o ver.

e tenho sede das rochas a baterem contra o azul branco das ondas, dos cheiros, dos sabores e do mar presente em tudo isto, na noite e no sol, nos encontros e nos desencontros, no agora e no até ja e da reconfortante sensação de ter pertencido sempre a isto e de ter sempre chamado isto pelo nome proprio da mesma forma como me chama a mim.

recordo-te e volto a ti

1 comentário:

Ana disse...

Porque é que acabo sempre por te encontrar nos momentos mais estranhos?! E sempre sem querer...