quarta-feira, novembro 23, 2005

1 ano depois...




o indigente nasceu á um ano.

continua cheio de andrajos á procura de bancos de jardim para se deleitar, gosta particularmente de passear serras e imaginar palavras em paredes, acredita que os ramos tambem são céu, que as paredes tambem são pele e que a cal que as pinta tambem esta na barriga dos mortos.


vamos então relembrar como tudo começou:


"Terça-feira, Novembro 23, 2004

INICIO

A inercia prende-nos sempre no momento do inicio.

Nao sou apologista da teoria da "folha branca" e toda a sua angústia, portanto tambem nao é legitimo defender-me com isso.

Tambem nao tenho o dom da escrita nem da palavra nem do pensamento.

Penso que mais dificil que iniciar o movimento será recomeçar o movimento. Neste caso se as referencias mudam corremos o risco de ficar sem rumo ou simplesmente a apanhar um qualquer.

É-me inevitavel começar algo com uma frase que me acompanha á longos anos, não sei bem o seu significado e acredito que nao compreendo toda a sua abrangencia, mas acredito conhecer a sua poética. Fernando Pessoa:

"Toda a vida é um sonho,
ninguém sabe o que quer,
ninguém sabe o que faz,
ninguém saba o que sabe"

Talvez um dia..."


4 comentários:

Quem? disse...

És o meu preferido! Parabéns!!!!
E obrigada por partilhares os teus sonhos comigo...
Da tua sempre e para sempre,
Ninguemsabeoquesabe

Ps: fomos Pais no mesmo dia..eheheheahahahh...temos uns lindos filhos ãnh?!

mm disse...

parabéns

MM

Vagabundo disse...

Aqui fica o meu desejo que continues em busca de Vagabundos para o teu Banco de Jardim.
Parabens... afinal 1 ano é sempre 1 ano!!!
Abraço Vagabundo

trigolimpofarinh@mparo disse...

Pá, e que tal pagar o copo a praxe???

Olha, que conte muitos, e que, já agora, eu veja, o que não deixa de ser, por diversos motivos,um optimo sinal.